3 Projectos esperados e que não tiveram o impacto desejado

0

Anualmente, os vários portais e canais de youtube, têm feito uma lista de álbuns ou projectos esperados, devido não só a expectativa medida nas reacções nas redes sociais e nos shows, mas também muito baseada no status dos artistas envolvidos.

Hoje, em plena pandemia aonde o mundo foi remetido ao isolamento social, trouxemos 3 PROJECTOS, entre os vários lançados nos últimos anos, que na nossa perspectiva, não tiveram o impacto esperado, por nós, pela comunidade hip hop e provavelmente pelos fãs. Sobre o impacto para os artistas envolvidos, só eles poderão responder, porque cada um cria a sua “expectativa” em torno do que faz. Importa realçar, que apesar das contribuições do team, na selecção das três obras, a matéria é de inteira responsabilidade do autor da mesma.

3º EP “Hat Trick” com Cfkappa e Phedilson

Lançada no penúltimo dia de 2019, a EP “Hat Trick” trouxe a união de dois super nomes da nova escola do rap angolano. De um lado Cfkappa, que tem os créditos bem firmados, com várias obras lançadas a solo e outras em colaboração e do outro lado, Phedilson, membro do Projecto Ascensão, com quatro obras lançadas via digital, sendo uma a solo e três colaborativas (com Fid-M, com Projecto Ascensão e esta Hat Trick).  

Qualquer um dos dois, tem patentes bem firmadas no rap angolano, Cfkappa começou a destacar-se muito cedo pela sua capacidade lírica, apesar da idade e é visto por muitos como o melhor da nova escola e influenciador de muitos mais novos e Phedilson teve o seu boom mais recentemente, essencialmente com as faixas “Preguiçoso e Surra”, aonde passou a ser conhecido além de Angola.

Pela capacidade e popularidade dos artistas, era suposto a EP “Hat Trick” ser “aquela EP”, cuja a repercussão se faria sentir durante muito tempo e valeria não só constar na playlist dos programas de rádio e tv, como também de maior parte do Deejays ligados ao Hip Hop Angolano. Apesar de ter recebido nota positiva da critica, o facto é que “4 meses depois” a EP morreu e caiu no esquecimento. Não correspondeu a expectativa.

2º EP “Duelo de Titãs” com Kid MC e Dji Tafinha

Depois de muito tempo de Beef, Kid MC e Dji Tafinha decidiram fazer as pazes e levantaram a bandeira branca, com o anunciar do Projecto “Confronto de Titãs“. A noticia divulgada caiu como uma bomba para os fãs e foi super aplaudida pela comunidade Hip Hop e não só. Os artistas deram uma conferencia de imprensa e explicaram detalhes daquilo que seria o álbum, cujo direitos foram repartidos entre a Cave Play e a Galaxia.
Com 10 faixas, o álbum foi lançado em Abril de 2017, de forma gratuita, porque segundo os dois artistas, queriam permitir o acesso de todos e tinham intenção de fazer uma tour pelas várias províncias do país. Quer Dji Tafinha, quer Kid MC, dispensam apresentações, ambos têm uma discografia vasta, são super populares e já chegaram no nível mais alto do Rap angolano, com vendas abarrotadas e shows lotadissimos. Ambos passaram pela MadTapes, pela mão do Dj Samurai.

Voltando ao álbum, passado quase três anos, não se concretizou a tour, os vídeoclipes prometidos, não foram lançados e pouco ou nada se fala sobre o mesmo. Nas playlists dos programas e Deejays, também não ouvimos e resumindo, não correspondeu a expectativa.

1º EP “Vilão” com Projecto X (Army Squad vs Kalibrados)

No primeiro lugar, trouxemos o Projecto X, não só por aquilo que os seus integrantes representam, mas por conta do “barulho” que gerou o primeiro e segundo single lançado. Durante muito tempo, o assunto Projecto X foi dos que mais visualizações renderam ao site e outros vários portais, tvs e rádios, desde os especializados aos mais generalistas. A singles promocionais do Projecto X surgiram flechas em forma de rimas, para o quarteto da Força Suprema.  
Amados por uns e odiados por outros, OG Vuino, Sandocan, Kadaff e Mankilla, monopolizaram os ouvidos dos amantes de rap e geraram muitaaaa expectativa em torno do Projecto e tudo isso gerou o interesse dos lideres da LS Republicano, que sem sombras de duvidas dominava o mercado e reuniram no intuito de lançarem o Projecto pela produtora e fazer gestão da agenda dos mesmos.

Não obstante a forma como surgiram e o lançamentos dos singles “Avisa k tamu Back, Projecto X, Vilão” o grupo veio dar resposta ao pedido de muitos fãs, que há muito sonhavam ter-lhes de volta. Kalibrados e Army Squad liderados por OG Vuino e Sandocan respectivamente, são dos dois grupos mais conceituados do mercado musical angolano e com batentes bem firmadas além fronteiras.

Estava tudo a correr bem, muita gente envolveu-se de forma directa. Pessoas como Abdiel, Negro Bué, Mister K, Tonny Graph e o ex Ministro Albino da Conceição, envolveram-se nos assuntos em torno do Projecto X. Chegado o momento do lançamento do álbum e mesmo depois de um dos singles ter saido com selo da B26, facto é que, o álbum foi lançado para download gratuito em vésperas do natal de 2017, e não foi o que se esperava. Várias criticas surgiram a volta do produto final e pouco ou nada se ouviu das outras faixas que tinham saído como singles e com linhas directas a Força Suprema. Resumindo, apesar do impacto das faixas promocionais, o produto “álbum”, não correspondeu as expectativas e passados quase três anos, parece-nos que a fase Projecto X terminou e voltou-se a fase “solo”.

BÓNUS  – PROJECTO RAPVOLUÇÃO 
Foi anunciado como um grande Projecto e foi uma grande iniciativa. Apesar disso, o Projecto Rapvolução lançado em 2016, acabou surtindo efeito contrario. Constituido inicialmente por Miss Skills, Eva RapDiva, Khris Mc, Vanda Mãe Grande, Kendra Martins e a dupla Winny e Zanda, o projecto acabou saindo sem algumas das vozes citadas e muitos foram os conflitos gerados entre as integrantes.

Inicialmente, uma noticia do Jornal de Angola veio abalar o relacionamento entre as rappers que faziam parte do projecto. O titulo “Eva RapDiva dá voz a anónimas do rap angolano” caiu como uma bomba atómica no seio do grupo, criando uma certa instabilidade e depois outros assuntos foram surgindo, ficando de fora Winny e Zanda e com conflitos directos com a rapper Vanda Maegrande e o projecto foi seguindo mutilado.

Sendo um projecto único e só comparável a Mixtape “Poetizas” lançado pela Kano Kortado e EC Records, Mamy, uma das mentoras e com apoio de outras, deu todo seu gás para o lançamento do projecto, que aconteceu no dia 08 de Março de 2017, que para além da ausência de Winny e Zanda, acabou saindo sem a voz de Eva RapDiva que deu a cara em toda fase inicial de promoção, no meios convencionais e blogs.
O Projecto acabou sendo lançado nas varias plataformas digitais e sem grande envolvimento das quatro rappers que se mantiveram no projecto e das convidadas, acabou não tempo o impacto desejado e  nem correspondido as expectativas da maioria e acabou afastando algumas delas e aproximando outras.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.