SADIA aconselha autores e artistas a registar as suas obras (Covid 19)

0

Numa altura em que Angola vive uma nova era e o mundo se encontra confrontado por uma pandemia que afecta directamente a classe artística, a SADIA (Sociedade Angolana dos Direitos de Autor ) surge renovada, para proteger  todos os criadores artísticos, no que concerne aos direitos e rendimentos da utilização das suas obras na execução pública (rádio, TV, shoppings, supermercados, espectáculos ao vivo, espaços públicos e shows em streaming).


A nossa Sociedade recebeu em Outubro de 2019, licença do Serviço Nacional dos Direitos de Autor e Direitos Conexos (Senadiac), para poder exercer actividade de gestão de cobrança e distribuição de direitos de autor para todo o território nacional.

A nossa Sociedade tem estado a investir em novas tecnologias e também em recursos humanos preparando-se para fazer o lançamento da sua plataforma, onde os autores poderão registar a suas obras online, a partir do próximo dia 06 de Maio. Todos os autores que o fizerem ficarão de modo facilitado, protegidos e protegidas as suas obras.

Para o efeito, efectuámos parcerias internacionais, com a APPLE MUSIC, BMAT e Smarca entre outros, de modo a poder acautelar direitos internacionais dos nossos membros, acumular experiências e obter elementos positivos e aplicar no mercado nacional. Smarca e a BMAT vão ser os responsáveis pelo monitoramento e rastreamento da execução pública da música angolana em todo mundo de TV, Radio, Plataformas de Streaming, Web Sites e Espectáculos ao Vivo.

Nas próximas semanas todos os associados da Sociedade Angolana dos Direitos de Autor – SADIA vão poder adquirir o código IPI (Interested Parties Information) que tem como principal finalidade identificar devidamente os detentores de direitos nas sociedades de gestão colectiva de todo mundo.

Apela-se por isso a todos os autores angolanos para que se inscrevam de imediato nesta organização e registem as suas obras literárias e/ou musicais, para  garantir maior controle e monitoramento das mesmas. Trabalhando em sintonia com a Sociedade Angolana dos Direitos de Autor – SADIA, os autores, artistas e criadores angolanos contribuirão para alterar o cenário actual do mercado musical do nosso pais, verão os seus direitos acautelados e o fim da violação dos direitos de autor.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.