Wyma Nayoby «O rap angolano é o melhor feito em português em termos de diversidade na composição»

0

 

wyma..

Nos dias 20 e 21 de Maio (Sexta e Sábado), aconteceu na Mediateca de Luanda o Festival Nacional  de Hip Hop com realização da Universidade Hip Hop.  Durante dois dias foram abordadas diversas questões sobre o Hip Hop Nacional e vários foram os oradores de acordo com os 4 elementos da cultura Hip Hop.

Wyma Nayoby e Mamy The Miss Skillz foram os responsáveis para abordar sobre o “Emeceein”. Durante a sua exposição oral, Wyma Nayoby que falava sobre o conteúdo da musica Rap, afirmou que o Rap Angolano é o melhor de expressão portuguesa em termos de diversidade na composição e flow.

Para Wyma, o rap angolano é o melhor, comparando ao rap feito em português. Wyma afirmou que o angolano tem o problema do fanatismo e ainda acredita muito que as coisas de fora são melhores que as nossas, sem dar espaço para uma avaliação profunda.

«O rap brasileiro é bastante parecido e previsível em termos temáticos e com relação ao rap feito em Portugal (não os Emecee de descendência africana) cada álbum parece remix de um outro álbum e até flow é idêntico» disse Wyma. 

Wyma disse ainda que em Angola não precisamos de tanto trabalho para ver e sentir a diversidade e originalidade entre grupos ou artistas, e a titulo de exemplo comparou o que é feito pela Vanda Mãegrande com relação a Girinha, Filhos da Ala Este com relação com Projecto Jango, Kalibrados ou Flagelo Urbano e outros.

Wyma

«A musica Rap é um musica de intervenção social em que o Emecee deve ser cantar sobre a realidade social onde o seu exemplo deve servir como um exemplo desta realidade social e não cantar sobre si apenas, justificando que canto o que vivo… a visão da musica Rap não é cantar o que um Emecee vive de forma individual porque se assim for seremos todos limitados e repetitivos. O que torna o Rap diferente de outros estilos é exactamente o seu objectivo que é a intervenção social…» Wyma Nayoby

 

No seu discurso, Wima reprovou a questão sobre a divisão da nova e velha escola, defendendo que não deve exister essa questão da tal dita velha escola saber tudo e a tal nova escola ter de aprender apenas com a velha escola. Tanto a tal dita nova escola como a velha escola, devem aprender uma com outra, uns com outros.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.